Fotolia: uma história de sucesso na web


O website Fotolia.com foi criado em 2004 por Thibaud Elzière e Oleg Tscheltzoff, dedicada à venda de conteúdos de ilustração livres de royalties (fotografias, ilustrações vetoriais, e vídeos em HD) onde fotógrafos e criativos, mas também agências de fotografia reconhecidas mundialmente disponibilizam as suas obras para venda através de uma tecnologicamente sofisticada ferramenta de busca.

Atualmente, a empresa que conta com a direção de Bruno Barradas no Brasil, está presente em mais 21 países e 13 idiomas. Com mais de 20,5 milhões de imagens digitais e vídeos à sua escolha, a empresa Fotolia disponibiliza um dos maiores bancos de imagens de alta qualidade do mundo, onde mais de 3,5 milhões de profissionais já são membros.

Além disso, a empresa está sempre tentando inovar, para atender as exigências do mercado, cada vez maiores, com conteúdos adicionados diariamente por criativos e fotógrafos profissionais e semi-profissionais, assim como agências de fotografia e designers de renome internacional. 75% dos conteúdos oferecidos provêm de colaboradores cujo portfólio engloba mais de 500 conteúdos. Cada conteúdo oferecido pelo colaborador é rigorosamente examinado em termos de técnica fotográfica (contraste/luminosidade, focagem, equilíbrio das cores, ISO...) por uma equipe especializada que verifica igualmente o cumprimento das normas de propriedade intelectual.

Foi realizado pela Fotolia em associação com Wacom e Adobe, o concurso “Projeto TEN”, que ofereceu a designers de todo o mundo, a oportunidade de enfrentar frente a frente, os designers de renome mundial e estúdios como o Estúdio Hellohikimori (responsável por projetos de design, incluindo The Walking Dead, Glee e True Blood). A ideia era que os designers produzissem suas próprias versões a partir de fotomontagens criadas por estes artistas gráficos famosos para o "Projeto TEN", utilizando técnicas artisticamente desafiadoras no programa Photoshop. Seus resultados estão disponíveis no site: http://br.tenbyfotolia.com

Conheça o banco de imagens Fotolia http://br.fotolia.com

Google diz que carro do Street View não atropelou burro


Depois da polêmica gerada pela imagem de um burro que teria sido atropelado por um carro do Street View em Botswana, o Google se pronunciou nesta quarta-feira (16) para esclarecer que o animal estava apenas deitado quando o veículo fez a imagem.

Na terça (15), o usuário “TheRealSheldonC” tuituou a imagem de um burro que parecia estar morto em uma estrada em Botswana após a passagem de um carro do Street View. O serviço do Google usa carros para fotografar e coletar imagens em 360 graus.

“Ao longo das últimas 24 horas, a mídia e usuários preocupados têm especulado sobre o destino de um burro que aparece no Street View na região de Kweneng, em Botswana”, escreveu Kei Kawai, gerente de produto do Google Maps no blog oficial da empresa.

“Devido à maneira como nossas imagens em 360 graus foram colocadas, para alguns pareceu que nosso carro se envolveu em uma batida e depois fugiu, deixando o humilde animal abandonado na estrada”, continuou Kawai.

A companhia publicou uma sequência de imagens para mostrar que o burro estava deitado no caminho do carro e saiu da estrada para deixar o veículo passar. “Tenho o prazer de confirmar que o burro está vivo e bem”, acrescentou o executivo.

Na sequencia de imagens, o Google mostra que o carro se aproxima do burro, que está deitado na estrada. Depois, o burro se levanta e se afasta para a passagem do veículo. Uma foto tirada da parte de trás do carro mostra o animal em pé. (Foto: Reprodução)

Asus amplia linha de PCs portáteis e se alia à Google TV



Asus Taichi, apresentado na CES (Foto: Daniela Braun/G1) 

Ultrabooks que se transformam em tablets, notebooks mais leves, tablets com teclado, PCs para a sala de estar e um conversor para a Google TV fazem parte do novo portfólio de produtos que a taiwanesa Asus traz ao Brasil em 2013. A linha de 12 novos equipamentos, entre notebooks e tablets, foi apresentada pela empresa em um showroom na cidade de Las Vegas (EUA), durante a CES 2013.

Entre os ultrabooks com tela sensível ao toque e Windows 8, a empresa foi mais ousada com o modelo Taichi, que chama a atenção por ter dois displays, na parte traseira e frontal da área da tela, que podem exibir conteúdos independentes. Quando fechado, o ultrabook também se transforma em tablet.  “É interessante colocar duas telas e manter o equipamento fino”, comentou Marcel Campos, gerente de produtos da Asus no Brasil.

Para garantir a espessura de um ultrabook, a empresa desenvolveu uma moldura única, que acomoda os dois displays, além de inserir uma folha de cobre para que a iluminação de uma tela não vaze para a outra. A inovação tem seu preço. O Taichi chega ao Brasil no final de fevereiro por R$ 10 mil para o modelo com tela de 13 polegadas, processador Intel Core i7 e armazenamento de 216 Gigabytes (GB), enquanto a versão de 11 polegadas, Core i5 e 128GB será vendida na faixa de R$ 6 a R$ 7 mil.
Outra opção na linha dos computadores híbridos é o Zenbook Touch, com dela destacável que se transforma em tablet. O estilo é similar ao ThinkPad Helix apresentado pela Lenovo durante a feira e também dublica a capacidade da bateria quando acoplado à base com teclado. O equipamento ainda sem preço sugerido chega no segundo trimestre deste ano ao mercado brasileiro. Para quem sente falta de conexões no ultrabook, a empresa também venderá um acessório portátil com três portas USB 3.0 (sendo uma lateral para uso de pen drive), HDMI e  VGA.

Notebook Zenbook Touch, com sua tela que pode ser retirada (Foto: Daniela Braun/G1)Notebook Zenbook Touch, com sua tela que pode ser retirada (Foto: Daniela Braun/G1)
 
Entre os notebooks tradicionais, a fabricante busca preços atrativos, abaixo de R$ 1,500 para máquinas com telas de 13 polegadas e também aposta em um modelo mais robusto para gamers.
O volume de novos modelos de ultra e notebooks, segundo Campos, é uma forma de dar opções de escolha. “Diferente da Apple, que tem um design para todo mundo, nós tentamos adaptar os produtos em diferentes formatos para o consumidor."

Na área de tablets, a Asus traz novos modelos da linha VivoTab – que deve ter outro nome do Brasil por conta da venda em operadoras – e uma evolução do Asus Transformer. Todos os modelos rodam Windows (RT ou 8 completo) e contam com teclados. No VivoTab ME 400, a capa com ima tem dobraduras diferentes para apoiar o portátil. Batizada de Origami, a capinha da Asus, no estilo Smart Cover do iPad, também se prende ao teclado leve e metálico que acompanha o produto.
Sem alarde, a Asus também iniciou a venda do tablet Nexus 7, do Google. Segundo Campos, a versão mais com Wi-Fi e 16 GB de armazenamento começou a ser vendida pela empresa no fim de dezembro – o primeiro comprador foi o Google Brasil para presentear funcionários - e chega as lojas ainda em janeiro por R$ 1.300.

Asus mostra o 'tablet do Google', como ficou conhecido o Nexus 7 (Foto: Daniela Braun/G1) 
Asus mostra o 'tablet do Google', como ficou conhecido o Nexus 7 (Foto: Daniela Braun/G1)
 
PC para sala e Google TV
Embora seu grande filão de mercado esteja nos portáteis, a Asus não quer perder espaço para a concorrência na sala de estar. Em outra sala de seu showroom, a empresa apresentou dois modelos de desktops “tudo em um” com telas grandes, sendo que um deles roda tanto Windows 8 como Android. “As pessoas têm um legado de aplicativos e conteúdos em Android nos smartphones e tablets para integrar ao desktop”, explicou Campos.

A empresa também faz sua aposta na área de TVs conectadas com uma caixa conversora para TV que integra conteúdos da Google TV, com controle remoto do Google, mas não tem HD interno, o que não permite gravar programas. O Cube também possui saídas para conectar o conversor de TV a cabo, portas USB e HDMI. Segundo Campos, a empresa ainda estuda a entrada do Cube ao Brasil. Nos Estados Unidos, o produto tem preço sugerido de US$ 130.

Tecnologia no banheiro: Conheça essa nova moda


Washlet TotoA fabricante de louças e metais sanitários Toto (pronuncia-se tôto), bastante conhecida no Japão e na Coréia do Sul, chegou ao Brasil com uma linha de produtos bastante inusitados. Abusando da tecnologia, a companhia criou assentos tecnológicos para vasos sanitários que, além de virem com bidê eletrônico, também têm outros recursos como neutralizador de odores, secamento do "bumbum" e até massagem.

Office 365 baseado na nuvem é lançado no Brasil


Segunda feira eu estava indo almoçar quando encontro uma mulher de camisa laranja e nela estava escrito “office 365″. Até então eu achava que era uma piada. Decidi pesquisar sobre o assunto e descobri que a segunda leva de lançamentos do Office 365 ocorreu nessa terça-feira, provavelmente aquela mulher estava ensaiando alguma coisa ou até mesmo se preparando para alguma apresentação.
Numa coletiva em São Paulo, a Microsoft anunciou a disponibilidade imediata do produto para usuários corporativos — profissionais, e pequenas e médias empresas — interessados em migrar para a nuvem.